segunda-feira, 30 de agosto de 2010

BILHETINHO



O fato de não estarmos mais juntos,
não impede que o amor permaneça.
Deixemos tudo como está.
Eu sou uma pessoa independente e,
ainda que me sinta só às vezes,
sei que sua companhia estará sempre comigo.
Somos uma prece.
Somos os mesmos de quatro anos passados.
O sentimento ainda pulsa e isso é o que importa.
Não esquenta a cabeça.
Não se divida.
Eu me cuido.
Eu me amo.
E, por me amar,
te amo sem cobrar absolutamente nada.
Fica o tempo que for preciso.
Volta se quiser.
Faz cada coisa a seu jeito.
Como dizem os sábios:
o que é do homem o bicho não come.
Ouvir tantas coisas lindas,
já valeu o dia,
a noite e até a ausência física.
Porque a presença que não se vê
é, não raro, maior e mais importante
do que aquela que devora o cotidiano
e vai matando o amor aos poucos.
Beijos, beijos e mais beijos.
Cuida de você.
E, se não tiver tempo,
deixa que eu cuido de nós dois.

Pelos dias 23 e 24-agosto-2010
Lembra sempre: É Isso Aí!

Um comentário:

Juliana Cordeiro de O.Silva disse...

Perfeiito!
Me vejo demais nos seu textos.
Magnífica!